Muito é falado a respeito de como a alimentação pode proporcionar uma vida mais saudável e até mesmo mais duradoura.

Com a intenção de especificar alimentos que retardam o envelhecimento do cérebro, cientistas da Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, deram um nome para a substância: luteína.

Ela está presente nas folhas verdes-escuras, no ovo e no abacate.

O estudo possuía 60 adultos de 25 a 45 anos e concluiu que quem continha mais a substância no sangue, apresentava níveis neurais compatíveis com pessoas mais jovens.

Além de ser benéfica para o cérebro, a substância é excelente para os olhos, onde age como antioxidante na retina e nas lentes oculares.